Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content

Invista de maneira segura e prática

Investimentos

A previdência complementar é um investimento de longo prazo e por isso é uma ótima opção para planejar o seu futuro e realizar os seus sonhos! Na Funpresp-Jud você capitaliza os seus recursos em uma conta individual e recebe 100% da rentabilidade obtida nos investimentos. Quanto antes você aderir, maior será seu benefício ao se aposentar!
INVESTIMENTO

Investimento Seguro

A Funpresp-Jud cumpre todas as normas de investimentos submetidas às Entidades Fechadas de Previdência, incluindo a Resolução nº 4.661/2018, do Conselho Monetário Nacional.

Para a gestão dos recursos, que pode ser realizada por meio de carteira própria, carteira administrada ou fundos de investimento, a Funpresp-Jud contrata somente instituições, administradoras de carteiras ou fundos de investimento que estejam autorizadas e registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Os investimentos realizados pela Funpresp-Jud são monitorados pelo Comitê de Investimentos (Coinv), órgão consultivo da Diretoria Executiva. A Fundação também conta com o Comitê de Stop Loss, com o objetivo de reduzir o nível de risco dos investimentos.

Aqui na Funpresp-Jud o controle de investimentos possui duas linhas de atuação. A Gerência de Controle de Riscos e Investimentos é a responsável pelo controle interno. Já o controle externo, determinado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), é realizado por fonte contratada via licitação.

INVESTIMENTO

Conheça a composição da nossa Carteira de Investimentos

Setembro/2021

Plano de Benefícios

Document

Reservas

Document

FCBE

Document
INVESTIMENTO

Rentabilidade

Até outubro de 2021, a rentabilidade nominal do Plano de Benefícios (PB) foi de 0,69%, ante 3,02% do CDI e 11,93% da meta do PB no mesmo período. Já a rentabilidade real líquida (descontando-se o IPCA do período) foi de -6,97%.

No acumulado de 12 meses, a rentabilidade nominal do Plano de Benefícios (PB) foi de 6,88%, ante 3,35% do CDI e 15,23% da meta do PB no mesmo período. Já a rentabilidade real líquida (descontando-se o IPCA do período) alcançou -3,42%.

 

Política de Investimentos 2021-2025

A Política de Investimentos 2021-2025 da Funpresp-Jud foi aprovada pelo Conselho Deliberativo na 12ª Sessão Extraordinária, de 9 de dezembro de 2020. Seu objetivo é servir como ferramenta de planejamento, fornecendo as diretrizes gerais para a gestão dos recursos financeiros a serem administrados pela Fundação, visando retornar os melhores desempenhos para os recursos dos participantes e patrocinadores, observando os mais elevados níveis de prudência, bem como princípios de governança, segurança, solvência, liquidez e transparência.

O documento orienta a gestão dos investimentos, sendo imperativo que todas as atividades a ela relacionadas sejam exercidas pelas pessoas e instituições, com boa fé, lealdade e diligência, observando apropriados padrões éticos, garantindo o cumprimento do dever fiduciário da Entidade em relação aos participantes, assistidos e patrocinadores do Plano de Benefícios.

Para a gestão dos recursos, que poderá ser realizada por meio de carteira própria, carteira administrada ou fundos de investimento, a Funpresp-Jud contratará somente instituições ou administradores de carteiras ou fundos de investimento que estejam autorizados e registrados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A Política de Investimentos também será seguida em suas diretrizes e limites prudenciais quanto à aplicação dos recursos, conforme preceitua o art. 17 do Estatuto da Funpresp-Jud. Dessa forma, a Política de Investimentos está balizada, no mínimo, pelas normas que governam o tema investimentos em Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC), podendo ainda ser mais restritiva que os normativos vigentes.

Clique aqui para acessar a Política de Investimentos.

 

Plano Gerencial de Investimentos 2021

O Plano Gerencial de Investimentos 2021 foi aprovado pelo Conselho Deliberativo na 1ª Sessão Ordinária, de 13 de janeiro de 2021, com o objetivo de se aprimorar a gestão de ativos da Fundação. O documento segue, necessariamente, as diretrizes gerais constantes da Política de Investimentos 2021-2025 e apresenta a estratégia mais indicada a ser seguida ao longo do ano, dentro de cada um dos cenários prospectivos elencados.

A Funpresp-Jud cumpre todas as normas que governam o tema investimentos em Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC).

Clique aqui para acessar o Plano Gerencial de Investimentos 2021

DÚVIDAS?

Veja as respostas para as
dúvidas mais frequentes

Os fundos de pensão têm regras e limites para investir os recursos. Eles são estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e fiscalizados pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

A estratégia de investimentos adotada pela Funpresp-Jud para a gestão dos recursos é aderente às normas em vigor (Resolução CMN 3.792/2009) e também à Política de Investimentos definida pelo Conselho Deliberativo.

Para realizar os investimentos, a Fundação obedece ao seguinte fluxo:

I. Análise pelo Comitê de Investimentos e Riscos (COINV), após proposição de um de seus membros ou por solicitação da Diretoria de Investimentos;

II. Efetivação da estratégia de investimento pela Diretoria de Investimentos, após recomendação do COINV e aprovação da Diretoria Executiva.

O Diretor de Investimentos presta contas mensalmente ao Conselho Deliberativo e ao Conselho Fiscal acerca das estratégias de investimentos adotadas, incluindo os resultados obtidos.

Pode-se perceber que o processo decisório dos investimentos apresenta várias instâncias, sendo que em cada uma delas as decisões são tomadas por diversas pessoas. O Coinv tem cinco membros titulares e dois suplentes e a Diretoria Executiva é composta por quatro diretores. No caso do Conselho Deliberativo, são seis membros titulares e seis suplentes, enquanto o Conselho Fiscal é formado por quatro titulares e quatro suplentes. Tanto o Conselho Deliberativo quanto o Conselho Fiscal apresentam em sua composição 50% dos membros eleitos pelos participantes e 50% indicados pelos patrocinadores da Funpresp-Jud.

Os fundos de pensão têm regras e limites para investir os recursos. Eles são estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e fiscalizados pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

A estratégia de investimentos adotada pela Funpresp-Jud para a gestão dos recursos é aderente às normas em vigor (Resolução CMN 3.792/2009) e também à Política de Investimentos definida pelo Conselho Deliberativo.

Para realizar os investimentos, a Fundação obedece ao seguinte fluxo:

I. Análise pelo Comitê de Investimentos e Riscos (COINV), após proposição de um de seus membros ou por solicitação da Diretoria de Investimentos;

II. Efetivação da estratégia de investimento pela Diretoria de Investimentos, após recomendação do COINV e aprovação da Diretoria Executiva.

O Diretor de Investimentos presta contas mensalmente ao Conselho Deliberativo e ao Conselho Fiscal acerca das estratégias de investimentos adotadas, incluindo os resultados obtidos.

Os investimentos efetuados pela Funpresp-Jud são pautados pela busca da melhor rentabilidade possível com níveis prudentes de risco. Nesse sentido, os investimentos têm sido bastantes conservadores desde o início de funcionamento da Fundação. Gradativamente, e de maneira parcimoniosa, foram iniciadas aplicações financeiras com vistas a se elevar a rentabilidade esperada, porém assumindo nível de risco ligeiramente mais elevado.

Até maio de 2015, a integralidade dos investimentos foi destinada ao segmento de Renda Fixa, notadamente em títulos públicos federais por meio de fundos de investimento abertos do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Porém, naquele mês, foram iniciadas aplicações no segmento de Investimento no Exterior (por meio de Fundo de Investimento em Ações – BDR Nível I, gerido pelo Banco do Brasil, sendo que atualmente a Fundação também aplica em fundo de investimento semelhante gerido pela Caixa Econômica Federal).

Já em agosto de 2015, a Fundação passou a também utilizar a Carteira Própria em seus investimentos, ao adquirir inicialmente títulos públicos federais para o Plano de Benefícios. E, em novembro de 2015, foram iniciados os investimentos em títulos privados também por meio da Carteira Própria, com a aquisição de Letras Financeiras.

Finalmente, em março de 2016 a Fundação iniciou as aplicações em renda variável, por meio de Fundo de Investimento em Ações atrelado ao Ibovespa, gerido pela Caixa Econômica Federal.

Mesmo com o início dos investimentos em aplicações financeiras mais arriscadas, o risco total assumido na gestão do Plano de Benefícios ainda se encontra em patamar bastante reduzido.

Os investimentos efetuados são integralmente “marcados a mercado”, ou seja, a contabilização dos ativos espelha fielmente o valor justo dos mesmos, que são aqueles verificados no mercado financeiro na data de sua referência, exceto para o caso das Letras Financeiras, que são marcadas pela curva do título específico.

Veja nesta página sobre Investimentos os dados atualizados sobre a rentabilidade dos investimentos e os comparativos com os segmentos de entidades fechadas e abertas de previdência complementar.

A escolha de investimento por conta própria apresenta algumas desvantagens em comparação à gestão pela Funpresp-Jud. Isso se dá principalmente em relação à gestão profissional dos investimentos. Além disso, no caso dos participantes patrocinados, o servidor deixa de receber a parcela do patrocinador, que passa a compor o saldo de conta a partir da adesão à Funpresp-Jud.

Especificamente em relação à gestão profissional, podemos destacar quatro fatores fundamentais:

Volume de recursos: algumas modalidades de investimento exigem elevados montantes para a aplicação inicial ou mesmo para conseguir descontos nos custos, algo que pode ser um impeditivo para os pequenos investidores. Dessa forma, por acumular recursos de um grande número de participantes, a Funpresp-Jud consegue acesso a diversos ativos e, na maioria dos casos, em condições mais favoráveis comparativamente a investidores isoladamente.

Gestão Profissional: a Funpresp-Jud conta com uma equipe altamente especializada e utiliza critérios técnicos na condução das aplicações, seguindo as normas específicas para os fundos de pensão e as determinações do Conselho Deliberativo. Diariamente acompanhamos e analisamos o mercado financeiro em busca das melhores alternativas de investimentos, sob a ótica de maior rentabilidade associada a níveis prudentes de risco.

Diversificação: os fundos de pensão estão autorizados a realizar investimentos em diversos segmentos de ativos, quais sejam: Renda Fixa, Renda Variável, Investimentos Estruturados, Investimentos no Exterior, Imóveis e Operações com Participantes (Resolução CMN 3.792/2009). No caso específico da Funpresp-Jud, a Política de Investimentos ainda está mais restritiva, autorizando somente os segmentos de Renda Fixa, Renda Variável e Investimentos no Exterior.

Transparência: a Funpresp-Jud deve seguir as diversas normas ligadas aos fundos de pensão, notadamente as Leis Complementares 108/2001 e 109/2001, Resolução CMN 3.792/2009, além de toda a regulamentação do Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) e da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc). Dentre as principais obrigações está a divulgação de informações de interesse dos participantes do Plano de Benefícios, por meio de relatórios (anuais, trimestrais), entre outros. Nossa equipe está à disposição para prestar esclarecimentos. Você pode acompanhar os investimentos por meio de relatórios emitidos periodicamente e divulgados nesta página sobre Investimentos.

EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PREVIDENCIÁRIA

ARTIGOS

LIVROS

Vídeos

Onde estamos

  • SCN, Quadra 4 – Ed. Varig – Torre Sul, Bloco B, 8º Andar, Sala 803 – Asa Norte – CEP: 70.714-020 – Brasília/DF
  •  

Contato

(61) 3217-6598
sap@funprespjud.com.br

Funcionamento:

Segunda a sexta, das 9h às 19h