Investimentos sob a ótica do monitoramento da Previc

 In Destaques, Eventos, Notícias Institucionais

Terceiro tema a ser abordado no Ciclo de Palestras Funpresp-Jud 2016, ocorreu em 26 de fevereiro, em Brasília.

O Ciclo de Palestras da Funpresp-Jud continua. Em 26 de fevereiro o assunto abordado foi “Investimentos sob a ótica do monitoramento da Previc”, ministrado pelo Sr. Fábio Henrique de Sousa Coelho, Diretor de Assuntos Atuariais, Contábeis e Econômicos da DIACE/Previc, com a colaboração do Sr. Amable Zaragoza, Coordenador-Geral de Monitoramento de Investimentos, na sede da Fundação.

escolhida2-1024x767

O evento contou com a presença de membros da Diretoria Executiva, além de integrantes do Comitê de Investimentos e Riscos e demais colaboradores da Fundação.

O Diretor esclareceu como é o processo de monitoramento de investimentos no contexto da Supervisão Baseada em Riscos (SBR), adotado pela Previc, ressaltou a mudança de paradigma, passando a atuar de forma prudencial, verificando a exposição a riscos e os controles sobre eles exercidos. Abordou, ainda, temas como melhores práticas de governança, fatores determinantes do processo decisório de investimentos, que devem envolver análise do ativo, do passivo e dos riscos, além da segregação de funções. Destacou que a Fundação deve implementar uma efetiva política de gestão, com controles internos, manuais, regras e documentação da tomada de decisão, visando mitigar os riscos. Enfatizou a importância de a Entidade desde o começo aplicar boas práticas na gestão: “A coerência e a prudência não podem deixar de existir. É muito importante que a Fundação tenha Código de Ética e Política de Alçadas para facilitar o trabalho ao longo dos anos”.

Fábio explicou os princípios e as exigências legais na aplicação dos recursos, especialmente os previstos na Resolução CMN 3792/2009. Relatou as melhores práticas e o papel das instâncias de governança no processo decisório de investimentos e os desdobramentos do cenário atual nas decisões. Por fim, enfatizou que os processos, controles e governança devem ser compatíveis com os riscos assumidos na Entidade.

Ao final, os representantes da Previc participaram de debate com a equipe e esclareceram dúvidas e questionamentos acerca do monitoramento da Autarquia e de investimentos.

 

escolhida1-1-1024x769

Fotos: Ascom/Funpresp-Jud