Funpresp-Jud mantém recuperação e resultado positivo em maio

 In Destaques, Notícias Institucionais, Patrocinador

Pelo segundo mês consecutivo, a Funpresp-Jud apresentou resultado positivo e manteve o movimento de recuperação da rentabilidade dos investimentos diante da crise econômica gerada pelo Covid-19. A rentabilidade real líquida do plano de benefícios atingiu 2,21% (IPCA de -0,38% no mês), no mês de maio. Já a rentabilidade nominal líquida do PB foi de 1,83%, ante 0,24% do CDI e 0,06% do benchmark do PB. As informações podem ser consultadas no Relatório de Investimentos divulgado nesta segunda-feira (15/06). Clique aqui para acessar os dados sobre rentabilidade do plano, o relatório sobre Fundos Exclusivos e a Política de Investimentos.

Diante do cenário ainda incerto e de cautela, embora em níveis menos elevados do que aqueles verificados nas últimas semanas, ao longo do mês de maio a Funpresp-Jud fez apenas movimentos pontuais nos investimentos. Com isso, o resultado apresentado pelo Plano de Benefícios da Funpresp-Jud foi expressivo, contribuindo para reduzir o resultado negativo acumulado do ano.

No acumulado de 2020, a rentabilidade nominal líquida do PB alcançou -1,30%, ante 1,54% do CDI e 1,50% do benchmark do PB. Já a rentabilidade real líquida atingiu -1,14% (IPCA de -0,16% no período), ante 1,70% do CDI e 1,66% do benchmark do PB.

A carteira de investimentos do Plano de Benefícios finalizou o período com aproximadamente 72,9% dos recursos em Renda Fixa, 11,2% em Renda Variável, 7,3% em Investimentos Estruturados (Fundos Multimercados) e 8,6% em Investimentos no Exterior. O detalhamento do segmento de renda fixa é de 15,0% em CDI e 57,9% em IPCA. Os investimentos em Renda Variável estão divididos da seguinte forma: 4,2% no Subgrupo 1A e 2,5% no Subgrupo 1B, 4,3% no Funpresp-Jud Athena FIM e 0,2% no BNP Mafdet FIM.

Já as aplicações financeiras no segmento de Investimentos Estruturados estão distribuídas em: 2,4% no Subgrupo 2A, 2,5% no Subgrupo 2B e 2,4% no Subgrupo 2C. No segmento de Investimentos no Exterior, os recursos estão alocados da seguinte forma: 4,5% no Subgrupo 3A e 4,1% no Subgrupo 3B.

Já sob a ótica do Fator de Risco, com a inclusão das operações com derivativos efetuadas pelos fundos de investimento exclusivos, os recursos do Plano de Benefícios encontravam-se segmentados da forma a seguir: 73,6% em Renda Fixa (9,2% CDI, 57,9% IPCA e 6,4% Prefixados), 10,6% em Renda Variável, 7,3% em Investimentos Estruturados e 8,6% em Investimentos no Exterior.