Funpresp-Jud participa do II Seminário Previdência Complementar em Debate

 In Destaques, Notícias Institucionais, Patrocinador

O Diretor-Presidente da Funpresp-Jud, Amarildo Vieira de Oliveira, foi um dos convidados do “II Seminário Previdência Complementar em Debate”, promovido pelo Instituto Brasileiro de Previdência Complementar e Saúde Complementar (IPCom), nos dias 20 e 21 de outubro, com transmissão pelo Zoom. Ele participou do painel “O risco na previdência complementar – alteração de paradigma?”, mediado por Danilo Ribeiro Miranda, Procurador Federal da Advocacia-Geral da União, e por Gabriel Cintra Leite, Advogado em Previdência Complementar Fechada. Junto com Amarildo, estiveram Marcelo Neves, Sócio da MRN Serviços Financeiros e consultor sênior da NETInvest, Valdir Domeneghetti, Consultor e Professor Fundação e Faculdade FIPECAFI, e José Carlos Sampaio Chedeak, Diretor de Orientação Técnica e Normas da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

Durante o painel, Amarildo lembrou que o servidor tinha um paradigma previdenciário diferente até a chegada da previdência complementar. Falou sobre o desafio de implantar a Funpresp-Jud, que começou a operar em outubro de 2013. Registrou que a Fundação alcançou este ano a marca de 20 mil participantes e o primeiro bilhão de patrimônio administrado. De acordo com ele, a Fundação é vista pela Previc com potencial de crescimento, sendo monitorada por ela.

Amarildo endossou a opinião de outros participantes do painel sobre a necessidade dos fundos assumirem mais riscos em função da queda da taxa de juros. No entanto, destacou a importância da qualificação dos diretores e dos conselheiros das entidades. O processo de certificação se faz cada vez mais necessário para a gestão de um fundo de pensão.

O Diretor-Presidente falou sobre a carteira de investimentos da Fundação e sobre a necessidade de diversificação. Comentou sobre a interrupção da estratégia de aumentar a participação em renda variável em razão da crise econômica gerada pela pandemia e sobre a realização de ajustes pontuais neste cenário ainda incerto.

Amarildo também destacou os investimentos em capacitação e controle interno na Fundação. Citou o alto percentual atribuído pelos participantes do plano à transparência da Funpresp-Jud em Pesquisa de Satisfação realizada este ano. Lembrou que a Fundação é pouco demandada pela Previc, em razão da publicidade dada aos documentos em seu site.

O Diretor-Presidente concluiu a sua participação no painel com uma mensagem de tranquilidade aos participantes dos planos de previdência complementar. “O sistema de previdência complementar é seguro, irá superar o momento de turbulência e está dando um tratamento adequado à questão dos riscos”, disse Amarildo.